22 C
Osasco
22 de outubro de 2020
Educação

Retorno das aulas presenciais na cidade de SP não deve ocorrer em setembro, diz secretário de Educação

“É muito provável que não seja já no dia 8 de setembro”, disse secretário Bruno Caetano nesta segunda (3). Data ainda não foi definida pela gestão municipal.
Escolas Estaduais usam tecnologia para oferecer aulas — Foto: Divulgação

 

O retorno das aulas presenciais na cidade de São Paulo segue sem data definida, de acordo com o secretário Municipal de Educação, Bruno Caetano, em entrevista à GloboNews, nesta segunda-feira (3).

“Para ser dia 8 [de setembro], a Saúde tem que dar a orientação. Mas pode ser e é muito provável que não seja no dia 8 de setembro. Ainda não há nenhuma data. A Secretaria [Municipal de Educação] segue se preparando para, quando a Saúde autorizar, estar tudo em ordem”, afirmou.

“Pode ser que seja outubro, pode ser que seja novembro. Qualquer dia a mais de aula presencial que a gente tiver é importante para as crianças. A minha visão, como secretário de Educação, é que é uma atitude prematura anunciar que nesse ano não tem aula. Acho que tem que ir passo a passo, acompanhando a evolução da pandemia semana por semana.”

O secretário também reafirmou que os alunos não serão reprovados e que haverá um “grande programa de reforço escolar”, feito em dois anos, para garantir que os alunos acessem o conteúdo.

“Quando as aulas presenciais voltarem, será aplicada uma avaliação, uma provinha, para saber o que os alunos aprenderam e o que não [aprenderam]. A partir do resultado dessa prova, vamos calibrar um programa de recuperação e reforço que vai acontecer ao longo desse ano e todo ano que vem. Daí, não há sentido em fazer a reprovação nesse ano, uma vez que a recuperação vai se dar em dois anos.”

No dia 16 de julho, o governo do estado anunciou que a retomada das escolas seria reavaliada, mas, no dia 17 de julho, mantiveram a volta às aulas para 8 de setembro.

A maioria dos prefeitos do ABC Paulista decidiu que a volta às aulas presenciais na rede municipal só deve acontecer em 2021. Nesta quarta-feira (29), a prefeitura de Mauá havia tomado essa decisão. Nesta quinta-feira (30), os prefeitos de Santo André, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra também adotaram a mesma medida

De acordo com Bruno Caetano, os pais poderão decidir se enviarão os filhos para a escola.

“Na prática, se as aulas presenciais retornarem, as famílias já têm esse poder de decisão. O que a gente trabalha, junto ao Conselho Municipal de Educação, é que as famílias não precisem recorrer a essa espécie de bolsão de faltas que já é uma prerrogativa, um direito dessas famílias, dessas crianças.”

Retorno das aulas presenciais em SP não tem data definida — Foto: Reprodução/GloboNews

Retorno das aulas presenciais em SP não tem data definida — Foto: Reprodução/GloboNews

Volta às aulas em debate

A secretaria de Educação da Prefeitura de São Bernardo do Campo informou, por meio de nota, “que está analisando tecnicamente a data para retorno das aulas na rede municipal de ensino sugerida pelo governo do Estado e ainda não há decisão definitiva. Caso os dados epidemiológicos atuais sejam mantidos, a tendência é que as aulas não sejam retomadas no próximo dia 8 de setembro.”

Posts Relacionados

UNIFIEO intensifica oferta de serviços gratuitos à comunidade de Osasco e região

Redação

Instituto Walmart abre inscrições para projeto que prepara jovens para o mercado de trabalho

Redação

Fatec e Etec abrem inscrições para processo seletivo

Mariana Domin

DEIXE UM COMENTÁRIO