24 C
Osasco
21 de outubro de 2020
Empregos Variedades

Profissões em alta e em queda na pandemia

Com a pandemia, algumas profissões estiveram em evidência; já outras, em queda brusca

O cenário sombrio. Pessoas adoecendo, risco de morte. Isolamento social. Como tudo isso afetou o mercado de trabalho? Quem lucrou? Quem perdeu? Vagas abertas para alguns, portas fechadas para outros.

A própria situação pandêmica já é capaz de responder por si sobre algumas profissões que se mantiveram em alta. A classe médica, incluindo não apenas os médicos, mas também enfermeiros, técnicos de enfermagem e de laboratório, foi profissão ascendente, e foi necessária a abertura de vagas, a fim de corresponderem à demanda de doentes. Algumas pesquisas revelaram que a psicologia foi uma profissão em queda, já que estar pessoalmente fazendo terapia na pandemia não condizia com a realidade vivida. Porém, como muitos, os psicólogos se reinventaram, através do atendimento online. Eles foram muito solicitados sim, contrariando essas falsas evidências, devido a depressão, crise de ansiedade, fobias etc, que muitos vivenciaram durante o isolamento social e com o medo do contágio.

Como muitos precisaram conter despesas, tanto pessoas físicas como jurídicas, os profissionais especializados em planejamento e gestão financeira, e os administradores de empresas foram profissionais muito solicitados durante a crise.

Outras profissões que estiveram em alta e é uma tendência que assim permaneçam, são as das áreas do Marketing e Comunicação Social. As empresas, e também as pessoas físicas, precisavam vender seus produtos, mesmo com as lojas fechadas, e esses profissionais da comunicação e propaganda fizeram toda a diferença, principalmente nas mídias digitais.

A agricultura permaneceu em alta. Os mercados e farmácias, fazendo parte do comércio essencial, mantiveram algumas profissões em evidência, como farmacêuticos, operadores de caixa, estoquistas, atendentes e repositores.
Com o aumento do consumo via delivery, não faltou trabalho para os entregadores.

Para a classe da educação, os professores de escolas propriamente dita continuaram realizando suas atividades online, através das plataformas ( lembrando que os profissionais da informática estiveram em alta como nunca, desenvolvendo plataformas e demais formas de comunicação online), porém, professores de cursos, de artesanatos e os demais, tiveram prejuízo econômicos na pandemia.

Muitas academias de ginástica fecharam suas portas, por não suportar a crise. Aconteceu também com pequenos comerciantes e ambulantes, sem reservas. Com a renda reduzida, mesmo as grandes lojas comerciais faturaram menos, já que os consumidores diminuíram seus gastos.

Os profissionais do ramo hoteleiro e os agentes de viagem também foram profissões que estiveram em queda, juntamente com os do setor cultural e de divertimento. Cinemas, teatros e afins, ainda, na maioria das cidades, não estão abertos para funcionamento. E ainda, devido ao isolamento social, as diaristas e secretárias do lar tiveram prejuízos em suas rendas, assim como os motoristas de aplicativos.

Muitas destas profissões em queda já estão em vias de estabilidade, com a flexibilização do isolamento e distanciamento social; outras permanecem no vermelho. Algumas profissões vieram para ficar, já que a comunicação via digital e as entregas via delivery viraram preferência de muitos pela praticidade.

Esperamos pelo fim da pandemia, para que todos os setores, dentro do possível, possam estar se reerguendo.

 

Posts Relacionados

Wesley Safadão se apresenta neste domingo, em Osasco

Alessandro Belcorso

Dicas de organização para impressionar o futuro comprador do seu imóvel em Osasco

Redação

Festa do Peão de Cotia – Os ingressos já estão a venda

Alessandro Belcorso

DEIXE UM COMENTÁRIO