18.5 C
Osasco
22 de outubro de 2020
Araçariguama

Prefeitura estabelece proibição em praças e parques durante quarentena

Obrigatoriedade do uso de máscaras e proibição de atividades em parques estão entre as medidas

Foto sobre "Prefeitura de Araçariguama estabelece novas normas e multas para quarentena "
Foto: Divulgação
A Prefeitura de Araçariguama expandiu a quarentena na cidade até o dia 31 de maio, seguindo as orientações do Governo Estadual. Juntamente com o novo decreto (3.118/2020) também foram acrescentadas novas diretrizes preventivas para a cidade, como a proibição do uso de parques e praças para a realização de atividades físicas.

As novas normas também obrigam o uso de máscaras a população e recomenda a toda população de Araçariguama que o deslocamento de suas residências ocorra apenas em casos de estrita necessidade ao sustento e à saúde, sempre se evitando a circulação de idosos, crianças e demais integrantes do grupo de risco. O decreto também estabelece que a não observação das recomendações de circulação a população autorizará o poder público a reconduzir os envolvidos de forma coercitiva às suas residências, além da aplicação das demais sanções estabelecidas neste Decreto.

Também é especificado que aqueles que desobedecerem às novas normas preventivas serão advertidos e poderão ser multados em R$ 276 (10 UFESP) na primeira ocorrência, R$ 2.761 (100 UFESP) na segunda ocorrência e R$ 27.610 (1000 UFESP) a partir da terceira ocorrência.

Confira abaixo as noras do decreto para a população e comércios do município

Art. 1º. Fica decretada medida de quarentena em todo o território do Município de Araçariguama, consistente na restrição de atividades com potencial aglomeração de pessoas como forma de evitar a possível contaminação ou propagação do vírus Covid-19.

Parágrafo único. A medida a que alude o “caput” deste artigo vigorará de 11 a 31 de maio de 2020.

Art. 2º. Para o fim de que cuida o artigo 1º, fica suspenso o atendimento presencial ao público em estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços, especialmente em casas noturnas, galerias e estabelecimentos congêneres, academias e centros de ginástica, ressalvadas as atividades internas restritas aos proprietários e seus funcionários e colaboradores.

§1° Ficam suspensas as licenças de funcionamento de bares e de locação de chácaras, clubes, salões de festas e eventos.

§ 2º O disposto no “caput” deste artigo não se aplica a estabelecimentos que tenham por objeto atividades essenciais, na seguinte conformidade:

1. Hospitais, farmácias, clínicas, inclusive as veterinárias, lavanderias, serviços de limpeza e dedetização;

2. Hotéis, pousadas e afins;

3. Supermercados, açougues, comércio de hortifrútis, serviços de entrega (delivery), restaurantes e padarias, desde que adotem medidas para garantir o distanciamento mínimo de um 1,5m (um metro e meio) entre as mesas e as pessoas;

3.1. Fica proibido aos restaurantes e padarias operarem no sistema self-service.

4. Casas de materiais de construção e afins;

5. Transportadoras, postos de combustíveis e derivados, oficinas de veículos automotores e afins;

6. Serviços de segurança privada;

7. Serviços de Comunicação social, inclusive eletrônica, executada por empresas jornalísticas e de radiodifusão sonora de forma não presencial e de sons e imagens;

8. Cultos religiosos e Missas, com no máximo 30% da sua lotação e desde que adotem medidas para garantir o distanciamento mínimo de 1,5m (um metro e meio) entre os participantes;

9. Demais atividades relacionadas no Decreto Federal nº 10.282, de 20 de março de 2020 que regulamentou a Lei Federal 13.979, de 06 de fevereiro de 2020 para definir os serviços públicos e as atividades essenciais.

§3°. Fica os responsáveis pelas atividades previstas no §2° a exigirem o uso de máscaras a todos os funcionários, clientes, consumidores e participantes;

§4°. A não observação do quanto previsto no parágrafo anterior acarretará as sanções previstas na Lei Estadual n° 10083, de 23 de setembro de 1998 e aplicação de multa à pessoa jurídica responsável pela atividade, no valor de 10 (dez) UFESP por pessoa sem máscara presente no local.

Art. 3º O não cumprimento de qualquer uma das medidas estabelecidas neste Decreto sujeitará ainda o infrator às sanções previstas na Lei Estadual n° 10083, de 23 de setembro de 1998, além de responder pelos crimes previsto nos artigos 268 e 330 do Código Penal, sem prejuízo de outras penalidades ou sanções civis e administrativas cabíveis ao caso, em especial a cassação da Licença de Funcionamento.

Parágrafo Único. A multa aplicada com base na Lei Estadual 10083, de 23 de setembro de 1998, seguirá o seguinte escalonamento:

I – 10 (dez) UFESP na primeira ocorrência;

II – 100 (cem) UFESP na segunda ocorrência;

III – 1000 (mil) UFESP a partir da terceira ocorrência.

Art. 4°. É obrigatório o uso de máscaras de proteção facial a toda a população do Município de Araçariguama, conforme regras estabelecidas pelo Decreto Estadual n° 64.959, de 04 de maio de 2020.

Art. 5º. Fica proibido o uso de parques e praças para a realização de atividades físicas.

Art. 6°. Fica recomendado a toda a população de Araçariguama que o deslocamento de suas residências ocorra apenas em casos de estrita necessidade ao sustento e à saúde, sempre se evitando a circulação de idosos, crianças e demais integrantes do grupo de risco.

Parágrafo Único. A não observação das recomendações previstas neste artigo autorizará o poder público a reconduzir os envolvidos de forma coercitiva às suas residências, além da aplicação das demais sanções estabelecidas neste Decreto.

Posts Relacionados

Procon participa de palestra sobre Direitos Básicos do Consumidor em Mairinque

Joseane Martins

Prefeitura celebra Semana do Idoso com almoço para o Grupo da Melhor Idade  

Alessandro Belcorso

Araçariguama: PTB anuncia Dedé como pré-candidato a vice na chapa encabeçada por Cauan

Bruno Schwabenland

DEIXE UM COMENTÁRIO