18.3 C
Osasco
21 de junho de 2021
Osasco Política

Osasco mantém arrecadação apesar de pandemia, mostra LOA 2021

Chegada de empresas do setor de serviços manteve economia da cidade aquecida.
A projeção, prevista na Lei Orçamentária Anual de 2021 (LOA 2021) foi apresentada em audiência da Comissão de Economia e Finanças da Câmara realizada nesta quarta-feira (9). Foto: Divulgação

O município de Osasco manteve a arrecadação em 2020 no mesmo patamar de 2019 apesar da pandemia do coronavírus e sustentará os níveis de atividade econômica. A projeção, prevista na Lei Orçamentária Anual de 2021 (LOA 2021) foi apresentada em audiência da Comissão de Economia e Finanças da Câmara realizada nesta quarta-feira (9).
Carine Simões, subsecretária do Tesouro de Osasco, demonstrou as projeções para o ano de 2021. Segundo os dados da secretaria de Finanças do município, as receitas correntes chegarão a R$ 2,82 bilhões no próximo ano, um crescimento de 1,2% na comparação com 2020. Já as receitas totais serão de R$ 3,03 bilhões, um acréscimo de 2,5% na comparação com o ano atual.
De acordo com a subsecretária, dois fatores foram fundamentais para a manutenção desse nível de receita. O primeiro deles é o aumento das receitas tributárias – aqui estão incluídas todas as receitas com impostos, tributos e taxas de melhorias.
Além disso, o aumento de 58% da receita de serviços foi fator imprescindível para o aumento das receitas do município. A chegada de empresas como Rappi, iFood, Mercado Livre e outras companhias do setor de serviços fizeram a arrecadação nesse segmento saltar de R$ 12,54 bilhões para R$ 19,45 bilhões.
Em postagem no seu Instagram, o prefeito Rogério Lins (Pode) destacou como a chegada dessas empresas foi fundamental para a economia da cidade: “De maio a outubro foram criadas cerca de três mil vagas de emprego na cidade”, comentou o prefeito.
Na previsão apresentada nesta quarta, as pastas de Educação e da Saúde terão as maiores fatias do Orçamento para o ano de 2021: R$ 812 milhões (29,2%) e R$ 731 milhões (26,3%), respectivamente. A secretaria de Segurança e Ordem Urbana terá dotação de R$ 116 milhões; já a pasta da Habitação ficará com R$ 63 milhões.
Sobre a LOA
A Lei Orçamentária Anual é um documento expresso por um conjunto de ações, identificadas por recursos orçamentários, necessários à realização das metas definidas pela Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e que foram extraídas do Plano Plurianual (PPA). O Orçamento abrangerá as metas de receitas e despesas de modo a evidenciar e realizar as políticas e os programas do governo municipal, para um período de um ano.
Carine comentou como a LOA orienta a gestão: “A LOA mostra todas as fontes de arrecadação, de receitas e transferências recebidas de outros poderes. Mostra também tudo o que a cidade irá pagar e como irá fazer de investimentos e obras na cidade”.
Bruno Mancini, secretário municipal de Planejamento e Gestão, comentou sobre a importância da participação popular e de entidades da sociedade civil na elaboração da LOA 2021. “As audiências públicas esclarecem o cidadão sobre um tema tão difícil e importante. Ainda mais num ano de pandemia, precisamos reorganizar os investimentos da cidade”.
Mancini afirmou a importância do uso dos recursos virtuais para manter a participação popular nesse período de isolamento imposto pela pandemia do coronavírus. Foram 1167 sugestões foram recebidas em formulário mantido na Internet por meio da plataforma Participa Osasco.
Também conforme Mancini, o Orçamento municipal foi dividido em 11 eixos estratégicos, em vez da divisão usual por pastas. “Uma maneira de facilitar a compreensão do cidadão sobre o orçamento da cidade”, disse ele ao final de sua apresentação sobre como serão efetuadas as despesas no próximo ano.
Por fim, o secretário de Finanças de Osasco, Pedro Sotero comentou sobre como a pandemia afetou a execução do orçamento de 2020 e a confecção do orçamento do próximo ano: “A recuperação econômica será lenta e uma segunda onda da pandemia pode impactar as receitas da cidade. Tínhamos contingenciado R$ 300 milhões do orçamento 2020 para eventuais despesas causadas pelo Covid-19”.
A audiência foi dirigida pelo presidente da Comissão de Economia e Finanças da Câmara Municipal de Osasco, vereador Cláudio da Locadora (PV), e relatada pelo vereador Toniolo (Pode). Estavam presentes os vereadores Daniel Matias e Josias da Juco, também integrantes da Comissão de Finanças e os parlamentares Lúcia da Saúde, Rogerio Santos, Tinha de Ferreira e Batista Comunidade.

Posts Relacionados

Após declarar apoio ao Republicanos, PSL marca data de sua convenção municipal

Redação

Albergue do Rochdale entra na fase final de conclusão

Redação

Osasco inicia vacinação de idosos com 77 anos ou mais

Bruno Schwabenland

DEIXE UM COMENTÁRIO

https://api.clevernt.com/cde5a1b4-43aa-11eb-9861-cabfa2a5a2de/