22.9 C
Osasco
21 de outubro de 2020
Travel Viagens

Impacto do turismo nesta pandemia

Infelizmente, uma das atividades mais prejudicadas com a pandemia e o isolamento social foi a turística, principalmente em regiões dependentes economicamente do fluxo de pessoas.

Sabemos que várias regiões brasileiras, e também mundiais, têm no turismo sua principal atividade econômica. Belezas naturais, monumentos, grandes parques de diversão, e até mesmo o comércio local atraem turistas. Infelizmente, na atual conjuntura mundial, estas atividades foram repentinamente frustradas. Os impactos da pandemia foram muitos, porém já podemos ver uma luz no fim do túnel com a flexibilização do isolamento social.
Particularmente, nós, moradores da Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro, predominantemente turística, pudemos observar toda essa problemática de perto. Teresópolis, por exemplo, sobrevive, em parte, dessa atividade, contando com lindos pontos pitorescos: a Vista Soberba, de onde temos a visão do belo e característico cenário da cidade: as formações rochosas “Pedra do Sino” e “Dedo de Deus”; o Lago Comary juntamente com a CBF; a Fonte Judith; o Parque Nacional da Serra dos Órgãos, com sua piscina natural, cachoeiras e trilhas; o artesanato local, e outros. Em Petrópolis, a Cidade Imperial, temos o Palácio de Cristal, o Museu Imperial, a Casa de Santos Dumont, o conhecido comércio de roupas da Rua da Rua Teresa, que são alguns exemplos de pontos de visitação da cidade. O que observamos durante a pandemia? Lojas fechadas, cidades cercadas, barreiras sanitárias, ruas vazias, e entre os transeuntes somente os moradores locais.
Entre alguns lugares brasileiros preferidos pelos turistas, podemos citar: no Nordeste : Bahia, Fernando de Noronha e Ceará; no Sudeste: o histórico Estado de Minas Gerais, a Cidade Maravilhosa (RJ), São Paulo e seu comércio popular do Brás. Internacionalmente, Portugal, França, Itália, EUA e Grécia são alguns dos destinos mais apreciados.
O coronavírus causou efeitos drásticos nas regiões dependentes de recursos provenientes da atividade turística. De repente, tudo parou: lojas, museus, parques, redes hoteleiras, empresas aéreas, ônibus intermunicipais; praias, clubes e estádios sem frequentadores. Consequentemente, prejuízos sofridos pelos comerciantes, culminando em altas taxas de desemprego. Empresas que possuíam reservas financeiras, conseguiram sobreviver à crise, porém alguns dos pequenos empreendedores faliram; o faturamento em relação ás atividades culturais chegou a zero; os restaurantes e lanchonetes viram a solução no funcionamento via delivery.
Mundialmente, segundo especialistas, muitas das regiões dependentes exclusivamente da atividade turística, empobrecerão, e terão que recomeçar do zero, e outras, as parcialmente dependentes, terão que aprender a sobreviver com menos recursos, até que a situação se normalize.
A população, com certeza, estará, por algum tempo movida pelo medo do contágio, mesmo após a abertura plena das cidades, portos e aeroportos. As excursões nacionais e internacionais serão evitadas, e pensaremos duas vezes antes de pernoitarmos em hotéis. Certamente, as viagens internacionais e nacionais de longa distância terão descontos promocionais para atrair os turistas. A tendência, com certeza, inicialmente, será o aumento do turismo local, das cidades vizinhas, situação em que o turista poderá conhecer melhor mais cidades ao seu entorno e ter a vantagem de retornar no mesmo dia; onde o turista poderá ir, alugando uma casa de veraneio com sua família, em seu próprio automóvel. Veremos também a diminuição dos valores dos aluguéis por temporada e das diárias hoteleiras, como forma de atrair os visitantes.
Paulatinamente, e de forma bem mais lenta, o turismo internacional também conseguirá se reerguer pós-pandemia. Chegará o dia em que a Torre Eiffel, Veneza, as Ilhas Gregas e suas ruínas, Lisboa e a Disneyland serão novamente lugares disputados, assim cremos. É somente uma questão de tempo e adequação à nova realidade.

 

Posts Relacionados

Flights to these big cities will be mega cheap in November

Redação

Vereadores de Osasco aprovam redução de imposto para empresas de turismo

Redação

Soon you’ll be able to travel from London to Scotland in just 45 minutes

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO