28.1 C
Osasco
20 de janeiro de 2021
Educação

Ensino médio 2020, na perspectiva dos alunos

Na opinião da maioria dos que cursavam o ensino médio, o que representou o ano de 2020?

Ainda estávamos no início do ano letivo, quando instalou-se a pandemia. Em março, mês que alunos e professores ainda estavam em processo de adaptação, interromperam-se, precocemente, as aulas. Muitos, como no caso dos alunos dos primeiros anos, viram-se em escolas novas, turmas novas, nem sequer sabiam ainda o nome de seus mestres… Quando novos conteúdos começaram a serem ministrados em sala, tudo parou. Aulas online, plataformas digitais… O ano terminando, uma aparente segunda onda da epidemia se instalando… O que pensam os alunos do Ensino Médio em relação a toda essa problemática?

Observamos que escolas particulares e seus alunos, conseguiram, dentro do possível, transmitir conteúdos, aplicar trabalhos e avaliações. Porém, com a grande massa de estudantes, os de escola pública, a coisa já não foi tão simples assim. Levando em conta que nem todos têm a facilidade de aprender em aulas presenciais, dentro de suas salas de aulas, imaginemos em seus lares, onde, muitas vezes, o ambiente não é propício para a aprendizagem?

Para os professores também foi um desafio e tanto adaptarem-se as plataformas, e ministrarem tão diferentes aulas. Muitos deles já na maturidade, sem nenhuma experiência e intimidade com a tecnologia.
Firmas foram a falência, pais perdendo seus empregos, jovens tendo que ingressar precocemente no mercado de trabalho para ajudar nas despesas. Muitos deles sem ao menos ter condições de contar com o serviço de internet em suas casas. Dessa forma, evadindo-se pouco a pouco dos estudos.

Em algumas turmas de escolas estaduais, salas online com quatro ou cinco alunos. O restante, desestimulados, trabalhando ou sem condições. Uns, aguardando o momento de retornarem as salas físicas, por dificuldades reais de aprendizagem.
É claro, vemos aquela minoria esforçada, e por que não dizer, em todos os sentidos, privilegiada, que solta a sua voz, dizendo que enquanto estudavam, buscavam conhecimento, ‘queimando neurônios’, os outros só queriam soltar pipa, e nem sequer se interessavam nas aulas.

A voz da maioria porém, é a voz da massa. Os estudantes da rede pública, frutos de lares desestruturados; mal alimentados; muitas vezes, vítimas de violências, da falta de condições. É verdade, alguns soltam pipa! Verdade também que muitos se esforçam! E outros, por necessidade, trabalham. Mas a voz da maioria diz que, em termos educacionais, ninguém deve ser reprovado em 2020; é um ano atípico, e não seria justo. Os alunos do 3° ano poderão se inscrever no 4° ano, série excepcional para ministração dos conhecimentos aos formandos.

Para muitos estudantes, sinônimos de um ano perdido. Contudo, porém, com a esperança de estar, em 2021, tendo a oportunidade de aprender um pouco daquilo que, de alguma forma, tenha ficado para trás.

Posts Relacionados

UNIFIEO lança novo Vestibular e ressalta os avanços da instituição

Alessandro Belcorso

Projeto “SAMU nas escolas” capacita 250 alunos em primeiros-socorros

Alessandro Belcorso

Prefeitura de Osasco promove Feira de Ciências

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

https://api.clevernt.com/cde5a1b4-43aa-11eb-9861-cabfa2a5a2de/