26.5 C
Osasco
4 de março de 2021
Variedades

A crônica de uma menina estranha

O amor me é. Simplesmente, unicamente me é, faz e vive! E, às vezes, ele tem cheiro de livros.

 

Meu nome é Letícia Mariana, muito prazer em conhecê-los nesta vida tão íntima e poética. Acabo de me mudar para Copacabana, e os prédios altos me fascinam! Gosto de levar minha obra favorita daquele poeta gigante, sabe? Pois é, levo-a para a pracinha, e aproveito a luz do sol!

— Filha, por que você não lê aqui mesmo?

— Ah, mãe, gosto do ar livre! – Respondi contente.

Eu tinha quatorze anos, estava no início da minha adolescência e aproveitava para sonhar em forma de letras, alfabetos e histórias.

 

Também era racional, e sabia bem o que queria: ser escritora! Irônico, não é? Riam de mim, mas eu já tinha um destino traçado!

— O que você lê, menina? – Perguntava o senhor.

— Riacho Doce, de José Lins do Rego! – Respondi, ainda concentrada na obra.

— É lindo ver uma jovem tão interessada nos livros! – Disse, encantado.

 

No dia seguinte, eu estava viajando acordada no recreio escolar. Sozinha, rascunhando para o meu primeiro livro! Feliz, contudo, só. Os jovens riam de mim, e quando eu reparava, me trancava no banheiro e chorava.

E quando não riam de mim? Bem, seguia com meus escritos e lia meus autores brasileiros favoritos.

 

— Você é apenas uma garota estranha! – Dizia a jovem descolada num tom de deboche.

 

E será que eu sou?

Posts Relacionados

Exposição fotográfica “Retratos do Ribeira” começa dia 21

Alessandro Belcorso

Fundo Estrela Guia anuncia campanha Corrente do Bem em prol da AACD

Alessandro Belcorso

Supla apresenta turnê de 30 anos de carreira no Pátio Osasco Open Mall

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO

https://api.clevernt.com/cde5a1b4-43aa-11eb-9861-cabfa2a5a2de/