25.7 C
Osasco
30 de setembro de 2020
Saúde

A saúde da melhor idade nos tempos de pandemia

Juntamente com os portadores de doenças crônicas, os idosos se enquadram no grupo de risco de contágio da Covid-19, e face a estes, merecem um olhar especial.
 
Imagem internet

Vivemos em um momento delicado, em que a população mundial sente-se amedrontada pela pandemia de Covid-19 que, somente no Brasil, já dizimou aproximadamente 100.000 vidas. Sabemos que qualquer um de nós pode contrair este mal, porém existem aqueles que têm maior probabilidade, que estão dentro do chamado grupo de risco. Nele, estão incluídos os portadores de doenças crônicas e pessoas com mais de 60 anos. Especificamente, em relação aos idosos, temos observado, em sua maioria, que eles têm tomado suas devidas precauções para evitar o contágio, manifestando assim amor próprio. Nós, sociedade, também devemos olhar os nossos idosos de uma forma especial, dispensando-lhes cuidados e ações preventivas.

O coronavírus geralmente é letal nos idosos, em virtude das comorbidades comuns à idade, como hipertensão, problemas cardíacos, circulatórios e debilidade dos pulmões. E devido a alteração em seus sistemas imunológicos, têm maior facilidade em contrair a doença. Atentos a isso, eles, em sua maioria, acostumados ao banho de sol e a caminhada diária, e a receber em suas casas filhos e netos, foram obrigados a repensar e abrir mão desses hábitos, temporariamente, a fim de preservarem a sua saúde. O distanciamento social é algo que afeta em demasia o psicológico de nossos vovôs e vovós, porém, eles sabem que evitar contato físico é essencial nesse momento de pandemia. Percebemos, durante a campanha da vacinação contra o H1N1, um maior interesse até mesmo por aqueles resistentes a essa medida preventiva. Eles também estão tendo um cuidado maior com sua higiene pessoal, utilizando o álcool em gel na desinfecção das mãos e valorizando o banho diário. Têm respeitado o isolamento social, permanecendo em suas casas, e fazendo uso das máscaras faciais, quando necessitam sair em casos estritamente necessários.

Nós, como sociedade e parentela, temos que cuidar e proteger os nossos idosos, e podemos fazer isto de diversas formas. Sabendo que a saudades dos familiares pode causar depressão, podendo consumir as suas vidas, devemos usar os benefícios da tecnologia, nos valendo de ligações constantes e chamadas de vídeos com nossos vovôs e vovós. Podemos ir às compras para eles, incentivando uma alimentação capaz de favorecer seus sistemas imunológicos,  através da ingestão de frutas, verduras, legumes, proteínas, carnes, ovos, leites e derivados. Também orientá-los a beber bastante água. Para evitar o sedentarismo dos nossos idosos, devemos encorajá-los a praticar atividades físicas em casa, fazendo caminhadas em seus quintais, indo de um cômodo a outros, abrindo janelas e cortinas, fazendo a limpeza de seus utensílios, ou seja, melhorando sua qualidade de vida e fazendo-os se sentirem úteis. Aqueles que residem com seus idosos devem tomar o máximo de cuidado com sua higiene pessoal, lavar sempre as mãos, e tirar sapatos e roupas antes de entrar em casa.

Pesquisas demonstram que quanto mais avançada a idade, maior é a taxa letal pela covid-19. Portanto, vamos amar, cuidar daqueles que correm risco de vida. Se tomarmos todas as precauções, estaremos protegendo não somente a nós, mas também aos demais. Que possamos ser canal para que os nossos idosos vivam com saúde, nos cuidando, amenizando um pouco a dor do isolamento ou doando-nos ao serviço daqueles que precisam de um olhar mais especial.

Posts Relacionados

Enfermeiros das UBS’s são capacitados para testes rápidos de DST’s

Joyce Araújo

Secretaria de Saúde disponibiliza em outubro a segunda dose de vacina contra HPV

Alessandro Belcorso

Testes rápidos de HIV e sífilis ganham reforço em todas as UBSs

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO