26.6 C
Osasco
10 de agosto de 2020
Educação

Aulas voltam em 8 de setembro se todo estado estiver na fase amarela, afirma Dória

Medida vale para redes pública e particular. “De início não teremos nas escolas pessoas de grupos de risco, nem entre alunos e nem entre profissionais”, explicou secretário da Educação. Rede estadual prevê contratação de 10 mil servidores para substituição dos afastados

Aulas voltam em 8 de setembro se todo estado estiver na fase amarela

O governo de São Paulo manteve para 8 de setembro a data de retomada das aulas presenciais na rede estadual de ensino, assim como a orientação para que a medida seja seguida pelas redes municipais e participar. A decisão foi anunciada pelo secretário estadual da Educação, Rossieli Soares, após a reavaliação do Centro de Contingência do Coronavírus, também do governo e responsável pelas deliberações sobre a quarentena no Estado.

A confirmação foi feita em coletiva no Palácio dos Bandeirantes com o esclarecimento sobre um equivoco na divulgação de um estudo realizado pelo professor Eduardo Massad, da Fundação Getúlio Vargas (FGV), nesta semana. Ao contrário do que foi divulgado, de que poderia haver 17 mil mortos, o correto é uma estimativa dez vezes menor: 1.557. É importante ressaltar que o indicador não se refere somente ao estado de São Paulo, e sim ao Brasil todo. Também engloba todos os níveis da educação, com alunos de 1 a 19 anos, e não é exclusivo à educação infantil. Além disso, os resultados são apenas uma estimativa do que poderia ocorrer no Brasil. Estimativas locais poderiam ser feitas com resultados que poderiam diferir bastante dos relativos ao país.
A correção foi feita pelo próprio Eduardo Massad, em comunicado à Secretaria Estadual da Educação. “Muito mais importante que a data é termos as condições obrigatórias sendo cumpridas. Ou seja, só voltaremos em 8 de setembro se as condicionalidades determinadas pelo Centro de Contingências forem cumpridas”, afirma Rossieli Soares.

Mesmo assim, a retomada segue vinculada a algumas condições. A principal delas é que todo Estado esteja na fase amarela do Plano São Paulo, que regula a flexibilização da quarentena. A região Oeste, da qual Osasco e cidades vizinhas fazem parte, está nessa fase há uma semana. Já a Capital, há 3 semanas. “Trabalhos com a perspectiva de que, até lá, todo o Estado esteja na Fase Amarela. Mas é um acompanhamento feito dia a dia. Teremos novas avaliações e, se não houver condições, não voltaremos em 8 de setembro”, afirmou o secretário. “Além disso, logo de início essa retomada não será com grupos de risco, nem entre alunos e nem entre profissionais”, completou.

Dentre os grupos considerados de risco para casos mais graves da Covid-19 estão pessoas com doenças crônicas e com mais de 60 anos.  Segundo Soares,a  previsão inicial da secretaria ponta que será preciso contratar cerca de 10 mil profissionais para substituir os servidores que ficarão afastados das atividades presenciais. “Mas isso é ainda uma estimativa inicial. Fecharemos em meados de agosto”, disse. As aulas presenciais nas redes estadual e municipais de ensino estão suspensas desde 23 de março. A determinação também foi seguida a partir desta data pela maioria das escolas particulares.

Posts Relacionados

UNIFIEO intensifica oferta de serviços gratuitos à comunidade de Osasco e região

Redação

CID itinerante leva cursos gratuitos de  informática à população de Osasco

Alessandro Belcorso

Taboão da Serra e Barueri podem ganhar rede de ensino canadense

Alessandro Belcorso

DEIXE UM COMENTÁRIO