24.5 C
Osasco
27 de setembro de 2020
Osasco

Osasco reforça ações de prevenção e combate às drogas

Debate do tema marca 2º Fórum Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas
foto: divulgação

As políticas de enfrentamento ao uso e abuso de drogas devem ser fortalecidas em Osasco por meio de ações, já em andamento, de prevenção, acolhimento e tratamento, assim como novas políticas em implantação. Essas foram as principais informações discutidas no 2º Fórum Municipal de Políticas Públicas sobre Drogas, realizado na noite desta sexta-feira (26), por meio de videoconferência na Câmara Municipal de Osasco (CMO).

O encontro virtual foi fruto de uma parceria entre a Câmara, a Prefeitura do Município de Osasco (PMO) e o Conselho Municipal de Políticas sobre Drogas (Compod). A ação integrou a programação do Dia Municipal de Combate às Drogas, comemorado todo dia 26 de junho na cidade. Participaram do encontro profissionais que atuam no enfrentamento às drogas, além de autoridades locais, regionais, estaduais, federais e representantes da sociedade civil.

O debate foi mediado pelo presidente da Frente Parlamentar de Segurança Pública da Câmara de Osasco, vereador Josias da Juco (PSD), pelo presidente do Compod, pastor Jonas Florêncio, e pelo representante do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) no Compod, Claudino Alves Ribeiro.

O prefeito Rogério Lins (PODE) foi o primeiro a usar a palavra. Ele destacou a importância do Compod na luta contra as drogas e anunciou uma sede para abrigar as ações promovidas pelo organismo. “O Compod vai ter uma sede própria aqui na cidade de Osasco e nós vamos transformar em realidade para ampliar a estrutura de atendimento e acolhimento a todos que têm necessidade”, declarou.

O Compod tem sido um instrumento de coalizão entre a sociedade e os poderes constituídos para a viabilização de políticas públicas de enfrentamento ao uso e abuso de drogas em Osasco. O secretário estadual de Justiça e Cidadania, Paulo Dimas, destacou o papel dos conselhos para a formulação de ações na área. “O trabalho dos conselhos é fundamental. Temos que unir o Conselho Estadual com os conselhos municipais para discutirmos políticas conjuntas e recursos”, acrescentou.

O presidente do Conselho Estadual de Política sobre Drogas (Coned-SP), Marcelo Ribeiro de Araújo, também defendeu o fortalecimento dos conselhos, devido à participação mista nesses organismos. “O conselho é o ponto em que tudo acontece e pode ajudar os poderes a tomar decisões”, completou.

APOIO À PREVENÇÃO

Ações de prevenção ao uso de drogas também estiveram na pauta de debates. Uma delas é o Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), desenvolvido pela Polícia Militar do Estado de São Paulo nas escolas municipais.

A comandante do 14º BPM-M de Osasco, tenente-coronel Eunice Rosa Godinho, destacou a atuação dos policiais que atuam no Proerd. “É um trabalho de prevenção primária muito rico para nós; uma forma de esclarecer nossas crianças e suas famílias a respeito dessa questão da droga”, disse.

O cabo da PM Cláudio do Nascimento Torres, que atua diretamente nas escolas em Osasco, agradeceu a Secretaria Municipal de Educação pela parceria, que viabiliza a orientação aos alunos da Rede Municipal de Ensino.

Segundo o secretário municipal de Educação, José Toste Borges, o Proerd chega a mais de 6 mil crianças da Rede anualmente.

Já o coordenador de Políticas sobre Drogas da Secretaria de Desenvolvimento Social do estado de São Paulo, Rodrigo Flaire, anunciou a criação de uma multiplataforma com atuação na perspectiva da prevenção, somando-se às ações do Proerd.

“A gente lançou um canal no YouTube com vídeos semanais para disseminar informações baseadas em evidências científicas”, explicou.

Além do canal, batizado como Prevenir Sempre, o programa terá presença no Instagram, Facebook e cursos gratuitos. Flaire colocou o programa à disposição e ofereceu a possibilidade de Osasco ser um município piloto da ação.

COMUNIDADES TERAPÊUTICAS

A coordenadora geral de Pesquisa e Difusão de Conhecimento Científico da Secretaria Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas (Senapred), Lívia Lopes, destacou as mudanças na política de tratamento da dependência química no Brasil.

De acordo com ela, as novas políticas possibilitam ações mais efetivas na recuperação de dependentes químicos e o fortalecimento das comunidades terapêuticas, que direcionam os trabalhos para a formação de uma cultura de recuperação baseada no abandono do álcool, do tabaco e de outras drogas. “É dentro desse contexto que tudo está sendo realizado no Brasil”, completa.

O representante do Consórcio Intermunicipal de Região Oeste Metropolitana de São Paulo (Cioeste), Franciso Maciel, defendeu a implantação de comunidades terapêuticas para a região.

Ele lembrou a importância do trabalho dessas instituições, mas também ressaltou a importância de políticas sociais no enfrentamento do problema. “O maior incentivo para narcotráfico é combater apenas o narcotraficante, sem diminuir pobreza, a falta de educação e a marginalização social”, justificou.

PAPEL DA FAMÍLIA

O encontro foi encerrado com a participação do pastor osasquense Jonas Nascimento, que venceu a luta contra as drogas.

Nascimento é irmão do vereador Josias e relatou sua história pelas ruas de Osasco e na Cracolândia, no centro de São Paulo. “Tem oito anos que saí do mundo de drogas, onde muitos falavam que nem urubu queria saber mais de mim, de tanto que eu fedia. Mas teve um ponto crucial; minha família não desistiu de mim”.

Hoje, o ex-dependente mantém um trabalho de recuperação e acolhimento a dependentes químicos em Balneário Camboriú (SC).

Posts Relacionados

NOVO lança seu pré candidato à Prefeitura de Osasco

Redação

“Atletas de Ouro” de Osasco serão homenageados pela Câmara

Redação

Câmara realizou sessão solene para homenagear “Jubileu de Ouro”

Alessandro Belcorso

DEIXE UM COMENTÁRIO