19.2 C
Osasco
24 de setembro de 2020
Cidades

Cooperativismo pode ser solução para déficit habitacional brasileiro

Sistema pode ser até 40% mais barato que empreendimentos tradicionais

“Existem milhões de pessoas no Brasil que estão esquecidas pelo sistema habitacional e pelos bancos” (Foto: divulgação)

A Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) divulgada em maio pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontou que o déficit habitacional no Brasil é da ordem de 5,5 milhões de residências.

Para especialistas, mesmo com o programa Minha Casa Minha Vida, que é uma iniciativa do Governo Federal, e possibilita financiamento bancário para famílias de baixa renda, o problema tem se acentuado, pois a modalidade não é livre da incidência de juros e, dependendo da faixa de renda familiar, as tarifas podem chegar até 8,16% anualmente.

Obras aceleradas: Casas que serão entregue em breve pela Conex (foto: divulgação)

Além disso, uma pesquisa da Confederação Nacional do Comércio (CNC) aponta que 60% das famílias no Brasil estão endividadas e, de acordo com o levantamento, 30% dos brasileiros estão inadimplentes.

Uma alternativa para minimizar o déficit habitacional pode ser o sistema de cooperativismo, que não envolve financiamento bancário e também aceita cooperados com restrições no SCPC. De acordo com diretor presidente da Conex Habitacional, Fernando Marcato, existem milhões de pessoas no Brasil que estão esquecidas pelo sistema habitacional e pelos bancos. “Muitas vezes, as famílias possuem saúde financeira, mas são impedidas de buscar um financiamento porque tem restrições no nome e não conseguem fazer o cadastro. No entanto, no sistema de cooperativismo isso não é um impeditivo, para a realização do sonho da casa própria”, comenta o empresário.

Segundo ele, o modelo de produção de moradia tornou-se uma boa ferramenta de regulação de mercado, como resultado de preços mais acessíveis e alta qualidade de seus empreendimentos. “Por ser composto pelos proprietários dos imóveis, chamados de cooperados, o sistema não visa lucro e, por isso, as casas e os apartamentos chegam a custar 40% mais baratos”, afirma Marcato.

Projeto Inovador: Terraço gourmet em imóvel de cooperativismo (foto: divulgação)

 

Mesmo assim, para o empresário, ainda é pequeno o número de brasileiros que conhecem o sistema de cooperativismo habitacional. “Em cada 10 pessoas, apenas 4 conhecem. Mas isso não acontece com o cooperativismo de alimentos. Como exemplo podemos citar a cooperativa da Aurora no Sul do País, que é uma das maiores do mundo na comercialização de aves”. Por isso, é preciso que as cooperativas habitacionais ampliem o acesso à informação de como funcionam, pois esta pode ser uma solução viável para milhares famílias brasileiras, finaliza.

Posts Relacionados

Osasco terá Campanha do Pescado em 12 locais

Redação

Equipe de natação de Osasco conquista 26 medalhas em torneio regional

Alessandro Belcorso

Inscrições para Vestibulinho da ETEC Emerlinda vão até dia 15 de maio

Joyce Araújo

DEIXE UM COMENTÁRIO