20.2 C
Osasco
22 de novembro de 2019
Política

Cuidado com as fake news, 2020 está chegando.

Em poucos meses estaremos em 2020, ano de eleições municipais e ano de proliferação das Fake News, as notícias falsas. Em época de velocidade, noticias instantâneas, influenciadores, a maioria das pessoas está pouco preocupada em pesquisar, verificar e confirmar a veracidade das pessoas. Vão logo clicando em compartilhar sem se preocupar se o que foi compartilhado era ou não verdade.
Indiferentes ao debate saudável cada um quer impor a sua própria verdade, por isso é muito fácil a proliferação de conteúdo, muitas vezes fabricado para favorecer ou desfavorecer este ou aquele candidato. Usuários das redes sociais são muito suscetíveis ao que aparece em seus feeds nas redes sociais e se foi postado por um amigo, confia ainda mais, sendo muito menos crítico e esse é terreno fértil para disseminação de noticias falsas.
É crime disseminar notícias falsas. Por isso é preciso tomar alguns cuidados:
Jamais compartilhe uma noticia sem ler a noticia inteira. Verifique quem público a matéria quais as fontes, confira a data da publicação, pesquise a informação em outras fontes (todo mundo tem um lado), não acredite em tudo o que você vê na rede, desconfie de noticias com muitos adjetivos.
Nesta quinta-feira (22), um perfil da cidade de Osasco, Messias Araújo Lima, que tem muitos seguidores publicou em seu perfil uma retratação publica fruto de um acordo judicial (Processo n° 1010901-95.2019.8.26.0405 / 2a.Vara Criminal de Osasco). Em uma de suas postagens publicadas em abril, Messias, como é conhecido, afirmou que então presidente da Câmara, Dr. Elissandro Lindoso, usou dinheiro público em sua revista de prestação de contas de seu mandato como presidente da Câmara. Houve muita repercussão e o compartilhamento da noticia, não havia fonte, não havia provas.
O vereador buscou a justiça e provou que a verba usada na produção da revista era própria e não houve danos ao erário público. A justiça mandou que o perfil que divulgou a fake News se retratasse, e foi o que aconteceu.
Lamentavelmente, é bem possível que a retratação não ressoe como a notícia falsa divulgada há meses. Mas, felizmente, a justiça se manifestou o que não deve interferir no comportamento das pessoas que costumam compartilhar fake News nem mesmo das que costumam produzi-las.
As redes sociais produzem excelentes linchamentos públicos, dignos de filmes de categoria B. Condenam sem provas, matam sem evidências. Uma realidade difícil de ser mudada, especialmente em tempos de egos inflados em que o próprio umbigo é o mundo perfeito.

 

Fonte: Folha da Região

Posts Relacionados

Presidente da Câmara de Osasco avalia os primeiros 100 dias à frente do Poder Legislativo

Alessandro Belcorso

Projeto de lei em Osasco proíbe contratação de homem que bate em mulher

Redação

Prefeitura e Fundação Cintra Gordinho reúnem se e reafirmam parceria em prol do desenvolvimento

Joseane Martins

DEIXE UM COMENTÁRIO