13 C
Osasco
20 de julho de 2019
Opinião Vampeta - Histórias do Velho Vamp

O Garoto malandro na peneira do Nacional

imagem ilustrativa

Na época, eu pendurei as chuteiras e recebi um convite do Corinthians em parceria com o Nacional para ser o treinador.

Dava os treinos e sempre existiam peneiras com a possibilidade, claro, de se descobrir novos talentos.

Certo dia, chegaram 50 meninos e eu sai perguntando o nome, idade de cada um, posição… Estava ali com a expectativa de encontrar um novo Fenômeno ou Neymar para o Corinthians.

Todos os meninos sentados e eu em pé com a prancheta do Joel Santana (risos). Daí, teve um menino que não quis me passar idade e posição, pediu para ser o último. Pensei comigo mesmo: “Esse aí é malandro, deve estar querendo saber qual posição tem menos jogadores”.

Foi o que eu pensei. Então, peguei o nome e posição de todo mundo e deixei o garoto por último. “Me chamo Eduardo”, disse o rapaz. Quando perguntei onde jogava, ele me respondeu: “Ah, eu jogo aonde estiver seu problema”. Falei assim: “Então você vai pegar 11 coletes e treinar contra esses 11 meninos de cá, pois tenho problema em todas as posições” (risos).

E ainda disse: “Passar bem, aqui você não vai fazer teste. Pode ir embora” (risos)

Posts Relacionados

Histórias do Velho Vamp: Clodoaldo ria só de pensar que jogava no Corinthians

Vampeta

Momento Saúde – Necessidades nutricionais para adolescentes

Gilmara Eid

Em Paris, a Dama de Ferro – Torre Eiffel – completou 130 anos

Néo Correia

DEIXE UM COMENTÁRIO