23.5 C
Osasco
16 de setembro de 2019
Brasil Cidades Cinema e TV

Cinema – Capitã Marvel é a maior estreia da semana

A maior heroína do Universo Cinematográfico Marvel finalmente chegou às telonas brasileiras!

Agora é a hora da heroína mais poderosa da Marvel mostrar toda a sua força em Capitã Marvel. Após muita espera e ansiedade, o filme protagonizado por Brie Larson finalmente chega aos cinemas brasileiros nesta quinta-feira, dia 7 de março. Dirigido por Anna Boden e Ryan Fleck, o longa se passa durante a década de 1990 e mostra versões rejuvenescidas de Nick Fury (Samuel L. Jackson) e Phil Coulson (Clark Gregg).

Capitã Marvel passa pela história de origem da heroína, quando Danvers retorna para a Terra a fim de lutar contra a invasão dos Skrull, ela mesma lutando ao lado do exército de elite dos Kree. Majoritariamente ambientado no espaço, o filme também traz nomes como Jude Law, Ben Mendelsohn, Djimon Hounsou, Lee PaceAnnette Bening e Clark Gregg.

Juntamente com a capitã, o suspense nacional Albatroz estreia nas telonas. Do mesmo roteirista de Cidade de Deus e Tropa de Elite, o longa conta a história de Simão (Alexandre Nero), fotógrafo que viaja até Israel com a atriz judia Renée (Camila Morgado), por quem se apaixona. Ali, ele testemunha uma tentativa de um atentado terrorista que dá errado e tira diversas fotos do momento, tornando-se mundialmente famoso por isso.

Confira abaixo, críticas e a opinião da imprensa sobre os filmes que estreiam nesta semana.

Capitã Marvel

“Em Capitã Marvel, nossa protagonista encontra forças sendo Carol Danvers – e não o contrário, com Carol se espelhando na ideia da heroína perfeita. O filme trabalha bem a abordagem de que uma metade completa a outra, mesmo que vejamos todo seu crescimento e entendimento interno fora de uma ordem cronológica”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

Albatroz
Albatroz Trailer Oficial

Albatroz sublinha ao espectador o fato de estar assistindo a uma encenação, diante de atores, com a presença de câmeras, com cortes abruptos e um roteiro que utiliza falas literárias. A cada momento em que nos aproximamos da imersão na trama, o filme nos expulsa novamente”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

 

O Rei de Roma
O Rei de Roma Trailer Original

“Apesar de suas evidentes pretensões cômicas e satíricas, o resultado, como um todo, aproxima-se de um drama manso, de fundo psicologicamente raso, representado eminentemente pelas personagens das prostitutas que, de dia, são estudantes de psicologia”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

O Último Trago
O Último Trago Trailer Original

“O filme transita entre a aparência natural, especialmente no começo, e os aspectos mitológicos e sobrenaturais da parte final, como se a jornada partisse da razão à loucura, do concreto ao abstrato”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.
Diários de Classe
Diários de Classe Teaser Oficial

Diários de Classe, plural como seu título, oferece inúmeras camadas e temas. Como uma mestra consciente do quanto pode aprender com os alunos, a direção se coloca totalmente à serviço dessas vozes em geral caladas e ignoradas, fortalecendo-as. O espectador, por outro lado, sai da sessão carregado de informações”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

 

Rafiki
Friends Trailer Original

Rafiki é um filme singelo, até demais. Os encontros são previsíveis, assim como as consequências do relacionamento”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

 

Yommedine – Em Busca de um Lar
Yomeddine Trailer Legendado

“Mesmo sem ser um projeto religioso – aliás, as diferenças entre cristianismo e islamismo são tratadas com naturalidade e respeito – Yomeddine não deixa de soar como um projeto de moral religiosa, pela crença de que o sofrimento enobrece o homem”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

 

Raiva
Raiva Trailer Original

Raiva trabalha com códigos do cinema clássico: pela composição em preto e branco austero, com planos fixos e simétricos, além da ausência de trilha sonora durante a maior parte da narrativa, não deixa de evocar o neorrealismo, com sua trama passada no século 1950 e a figura das mulheres paupérrimas”. Leia a crítica completa e a opinião da imprensa.

fonte: Amanda Brandão / Adorocinema

Posts Relacionados

Espetáculo teatral “Cadê o amor que estava aqui?” chega a Osasco

Alessandro Belcorso

Quem se deu bem e quem ficou de fora na região Oeste

Alessandro Belcorso

Osasco terá 1º Concurso de Orquídeas

Redação

DEIXE UM COMENTÁRIO