27.5 C
Osasco
23 de março de 2019
Vampeta - Histórias do Velho Vamp

O dia em que Amaral marcou o ”Apartheid”

O Brasil jogou um amistoso em Joanesburgo. Zagallo convoca a seleção. Daí, o Tino Marcos chega no nosso Velho Lobo e pergunta sobre a equipe titular. Sabe como é, o professor não quis passar a escalação mas garantiu que iria dar uma oportunidade ao Amaral.

Então, o Tino foi no Amaral e colocou ao vivo no Jornal Nacional: ”O Zagallo disse que não ia passar o time, mas que você vai ter a sua primeira oportunidade”. Tudo isso ao vivo. O Amaral respondeu firme: ”Pra mim é uma honra, vou pegar com unhas e dentes”.

Até aí, tudo bem. Depois, o Tino perguntou: ”Já que estamos aqui na África, o que você acha do Apartheid?”. Amaral achou que Apartheid fosse um jogador da África do Sul: ”Eu vou marcar ele! É a minha primeira chance, ele não vai sair jogando”. Era ao vivo, não tinha como cortar. Todo mundo riu.

E o Amaral não quis nem saber, correu para o quarto do Rivaldo e perguntou: ”Rivaldo, o que é Apartheid?”. Rivaldo falou: ”Poxa, deve ser um prato de comida. Pede um pra mim e outro pra você porque eu tô morrendo de fome”.

Posts Relacionados

A marra de Romário nas eliminatórias da Copa de 2002

Alessandro Belcorso

Copa São Paulo de 1991 – Eu estava lá

Alessandro Belcorso

A preleção de Zagallo no Flamengo

Jefferson Rolemberg Dias

DEIXE UM COMENTÁRIO